Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

logo100x844

1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel)

Batalhão Amazonas

O Melhor Batalhão do Mundo!

Localizado na cidade de Manaus - AM, o 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel) teve sua origem na Província do Mato Grosso, em 30 de agosto de 1831, com a criação da "Companhia de Pedestres". Foi transferido para a cidade de Manaus como 45º Batalhão de Caçadores do 15º Regimento de Infantaria, conforme Decreto nº 11.498, de 23 de fevereiro de 1915, data considerada como aniversário da OM.

Em 1915, chega em Manaus com o nome de "45º Batalhão de Caçadores".

Em 1919, o Decreto nº 13.916, de 11 de dezembro, transforma em "27º Batalhão de Caçadores". Como primeira Unidade militar de Infantaria na Amazônia, permaneceu por quase 50 anos nas mesmas instalações, onde atualmente fica o Colégio Militar de Manaus, até que em fevereiro de 1962, teve sua sede transferida para o Bairro São Jorge, nas atuais instalações.

Em 1969, com Decreto nº 65.134, de 11 de setembro, é transformado em "1º Batalhão de Infantaria de Selva".

Em 2000, passou a ser Força de Ação Rápida do Comando Militar da Amazônia.

E, a partir de 2005, recebeu a denominação atual de "1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel)", Batalhão Amazonas.

 

A Portaria Ministerial nº 1.005, de 13 de dezembro de 1990, concedeu ao 1º BIS a denominação histórica "Batalhão Amazonas", que simboliza a ligação afetiva da organização militar com o povo amazonense. A sua história confunde-se com a da Infantaria de selva no Brasil e orgulha-se por ter fornecido efetivos militares para a formação de outras Unidades de Selva e Pelotões de Fronteira.

 

A longa trajetória do Batalhão Amazonas é repleta de feitos que destacam as qualidades de seus Integrantes. O Batalhão notabilizou-se por suas campanhas militares visando a Garantia da Lei e da Ordem; nas regiões limítrofes com países amigos, em ações de preservação da fronteira brasileira; em resgate de vítimas de acidentes aéreos; no auxílio à população atingida por calamidades públicas, na segurança e defesa de eventos de grandes proporções, cooperando assim com órgãos governamentais e a defesa civil, dentre outras.      

            Ainda se fez representar por um contingente na Força Expedicionária Brasileira, que combateu na 2ª Guerra Mundial em solo italiano, bem como no envio de tropas para o Haiti, em 2008 e 2011, que integraram a Missão de Estabilização das Nações Unidas naquele país.

CÉLULA-MATER DA INFANTARIA... O 1º BIS forneceu quadros de pessoal e material para a criação de diversas Organizações Militares e Pelotões Especiais de Fronteira na Amazônia, por isso é conhecido como "Célula-Mater da Infantaria de Selva":

CIGS (Manaus/AM) - Compôs o grupo de trabalho para criação do CIGS.

4º BIS (Rio Branco/AC) - Mobiliou a antiga 4ª Cia Especial de Fronteira.

8º BIS ( Tabatinga/AM) - Mobiliou a antiga 7ª Cia Especial de Fronteira.

53º BIS (Itaituba/PA) - Compôs destacamento precursor para criação da OM.

54º BIS (Humaita/AM) - Compôs destacamento precursor para criação da OM.

            Manteve pelotões destacados para início da construção dos Pelotões Especiais de Fronteira de Yauareté (1º PEF), Querari (2º PEF), São Joaquim (3º PEF), Cucui (4º PEF), no Amazonas.

 

AEROMÓVEL, SELVA!

registrado em:
Fim do conteúdo da página